segunda-feira, 29 de agosto de 2011

(Des) Aventuras em Serpa 2011

Inicio este artigo sobre a nossa participação na feira medieval de Serpa, descrevendo o local onde a organização da mesma, nos colocou. Para quem conhece o local, sabe que a feira é feita dentro das muralhas do castelo e na parte que corresponde ao largo das lojas e cafés, antes de subir a escadaria que dá acesso ao castelo, ou parte superior das muralhas.

Não sei se o mesmo aconteceu no ano passado com outros feirantes, mas este ano, quando chegamos á rua que nos tinham indicado, reparamos que a mesma era fora da feira, longe de tudo. Estavam já montadas 3 tendas e um enxame de vespas. Todos estavam indignados (menos as vespas).

Além de não termos sido recebidos por ninguém da organização para nos indicar o local de montagem, o que é de estranhar nestas feiras, tivemos que improvisar o nosso espaço, adivinhando o exacto local que nos tinham falado muito "ao de leve" em conversa telefónica. Além da sensação de termos sido todos desterrados para a terra de "Bué bué longe", nem demos conta da feira começar, pois nem animação, nem visitantes, nem feirantes, nem nada acontecia na nossa rua.

Com a noite, veio finalmente a rapariga da organização que andava pela feira a tratar dos seus assuntos e claro, as caçadoras de dragões fizeram por mostrar a indignação do local e de como as coisas tinham sido feitas. Conseguimos com que nos dessem um local dentro das muralhas, a 50 metros de distância, que não nos valeu de muito, mas que ajudou a trazer esperança e um pouco mais de paciência para o clã que já estava com vontade de levantar ferros e seguir caminho.

Não fizemos grandes vendas, porque a afluência de visitantes e de animação era quase nula, mas pelo menos deu para descontrair um pouco, nadar de manhã na piscina do hotel onde estávamos alojados e na noite de Sábado deu para o Draconix trabalhar um pouco. Até fizemos de guardas ao arco da muralha, por onde algumas pessoas entravam e saiam.

De destacar novamente as tremendas bebedeiras e desacatos, que os membros jovens de Serpa e arredores, parecem fazer questão de manter como culto. Todos ficamos indignados com estes jovens, que mais parecem mini alcoólicos que não sabem parar de beber.

Tendo observado o mau ambiente que se gerou devido ás bebedeiras extremas, tendo constatado a má logística da feira no que toca á distribuição de espaços, pois demos uma volta exaustiva ao recinto da feira, tendo trocado impressões com alguns feirantes que nos confirmaram o mesmo e juntando a isto a ausência da organização durante os 3 dias de feira, só podemos concluir que a feira medieval de Serpa para o ano ficará fora da nossa rota de feiras, pois para fazermos "piscinas" e para ficarmos fora do recinto da feira, o nosso clã prefere ficar em terra, para tratar de outras feiras que realmente sejam diferentes desta.

Como se não bastasse tudo isto, ainda levamos com uma trovoada mesmo no fecho da feira, na segunda noite. No meio de tanta escuridão, raios e coriscos, encontrámos pessoas da localidade e arredores, que já nos conheciam do ano passado e que ficaram amigas do clã e do Dragonix. Até o nosso dragão fez novos amigos.

Registo fotográfico

O cantinho das armas e do Draconix...



A miséria de rua onde ficámos... vazia, fria e sombria...



Para ajudar, a trovoada de Sábado serviu para fechar um dia da treta. Vejam dois pequenos vídeos da dita, filmada a partir da janela do quarto do hotel onde estavamos alojados:

video

video

Somando todos estes factores, ao facto de alguns artesãos não usarem a sua capacidade de raciocinio e de imaginação,prejudicando assim tanto a eles próprios como aos que tentam pelos próprios meios, serem diferentes, então podemos dizer que esta feira fechou em negativo e que realmente para o ano, a Tenda dos Dragões não irá estar presente.

Sem comentários:

Enviar um comentário